Federação dos Trabalhadores na agricultura no Rio Grande do Sul

Notícias

FETAG-RS participa do lançamento da Década da Agricultura Familiar

O presidente da FETAG-RS, Carlos Joel da Silva, participou hoje do lançamento da Década da Agricultura Familiar 2019-2028. O ato ocorreu durante a Comissão Geral da Câmara proposta pelo presidente da Frente Parlamentar da Agricultura Familiar, deputado Heitor Schuch.

 

Estudos estimam que a população mundial tende a aumentar, e muito, nos próximos anos. De acordo com relatório da Organização das Nações Unidas (ONU), nos próximos 30 anos o mundo terá 2 bilhões de habitantes a mais, atingindo a marca de 9,7 bilhões de habitantes. Até 2100, este número pode chegar a 11 bilhões de pessoas.

 

Com o aumento da população mundial, consequentemente, a demanda por alimentos será maior nos próximos anos. Neste sentido, a ONU declarou o próximo período de 10 anos, de 2019 até 2028, como a Década da Agricultura Familiar.

 

Ainda de acordo com dados da organização, cerca 90% das 570 milhões de propriedades agrícolas do planeta são administradas por um indivíduo ou por uma família e são dependentes de mão de obra familiar. Elas são responsáveis por 80% de toda a comida do planeta. A organização considera que a agricultura familiar é fundamental para garantir que produção de alimentos acompanhe o aumento populacional, garantindo que todos tenham acesso a comida.

 

Para o presidente da FETAG-RS, Carlos Joel da Silva, “pelos próximos 10 anos, o mundo inteiro falará sobre a agricultura familiar e dos alimentos que dela provém”. Para Joel, o intuito da ONU é fazer com que todos os setores da sociedade, desde os produtores até os governantes possam estar lado a lado discutindo a valorização e a continuidade da agricultura familiar. “É preciso que os governos, as entidades representativas e a sociedade, entendam a importância das famílias que vivem no campo e que produzem os alimentos que chegam nas mesas, e trabalhando em conjunto para solucionar problemas que hoje afligem algumas cadeias, tais como a do leite e a do arroz, que estão em grave crise no momento”.

 

Na opinião do presidente da FETAG-RS, também são necessárias políticas públicas novas, que garantam renda ao produtor e que estimulem a permanência dos jovens nas propriedades rurais, dando continuidade as atividades de suas famílias. A ONU estima que 80% dos alimentos necessários no futuro, virão da agricultura familiar.