Federação dos Trabalhadores na agricultura no Rio Grande do Sul

Informativo

INFORMATIVO N° 1.427

Informativo Fetag e Sindicatos dos Trabalhadores Rurais. Um programa da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul e dos 320 Sindicatos filiados. Transmitido em todo o Estado com informações para o trabalhador e a trabalhadora rural.

 

 

A FETAG-RS TAMBÉM ESTÁ NO INSTAGRAM

Siga nosso perfil e fique atento a tudo o que acontece no Movimento Sindical Gaúcho!

E não esqueça que todas as notícias também estão em nossa Página oficial no Facebook!

 

 

 

PRORROGADO O PRAZO DE VALIDADE DAS DECLARAÇÕES DE APTIDÃO AO PRONAF - DAP

 

Foi publicado na edição de hoje do Diário Oficial da União a Portaria N°24 do Mapa, assinada pelo secretário de Agricultura Familiar e Cooperativismo, Fernando Schwanke, que determina a prorrogação por seis meses do prazo de validade da Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP).

A medida leva em consideração o decreto n° 6, de 20 de março de 2020, que reconheceu o estado de calamidade pública em todo o território nacional em virtude da pandemia causada pelo Coronavírus e as restrições de locomoção e de prestação de serviços públicos, em especial os presenciais. A medida também é considerada importante para minimizar os impactos econômicos e sociais causados pelo vírus.

Sendo assim, ficam prorrogados pelo período de 6 (seis) meses os prazos de validade das Declarações de Aptidão ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) - DAP que expiram entre hoje (25) até 31 de dezembro de 2020.

Para o presidente da FETAG-RS, Carlos Joel da Silva, “o Pronaf é fundamental para a agricultura familiar e não poderíamos correr o risco de que produtores ficassem de fora devido a pandemia, já que no momento as recomendações das autoridades de saúde são para todos fiquem em suas casas, o que inclusive mudou o regime de trabalho de órgãos públicos que atendem os agricultores.”

 

 

EMATER/RS-ASCAR DIVULGA CONTATOS PARA ATENDIMENTO EM TRABALHO REMOTO

 

 

A Emater/RS-Ascar orienta os agricultores que fiquem em casa, evitando saídas que não forem de extrema necessidade. De acordo com o presidente da Emater/RS, Geraldo Sandri, a instituição determinou que todos os escritórios realizem seus atendimentos por trabalho remoto. Esclarecimento de dúvidas e contatos devem ser feitos por ligação telefônica, WhatsApp ou e-mail.

"Lembrando que essas medidas são para protegermos uns aos outros e aos agricultores assessorados e suas famílias. Temos um papel muito importante e fundamental, inclusive para não atingir os grupos de risco e não sobrecarregar os serviços de saúde. Não é momento de pânico, mas de prudência e enfrentamento. Mudanças de atitude são importantes para passarmos por isso o mais breve possível e com menos consequências", avalia Sandri.

Os contatos dos escritórios municipais (EM) podem ser encontrados no site da Emater/RS-Ascar.

Mande um e-mail ao EM para receber atendimento on-line e o contato de Whatsapp ou entre em contato pelo celular do Escritório Regional de sua região para solicitar o contato municipal.

Os escritórios regionais:

Bagé – (53) 9 9946-7466 e (53) 9 9977-1947

Caxias do Sul – (54) 9 9971-0607

Erechim – (54) 9 9112-3677 e (54) 9 9685-3279

Frederico Westphalen – (55) 9 9906-0992

Ijuí - (55) 9 9619-1925

Lajeado – (51) 9 9725-8640

Passo Fundo - (54) 9 9994 8214 e (54) 9 9931 1934

Pelotas – (53) 9 9937-4618

Porto Alegre – (51) 9 9783-4570

Santa Maria – (55) 9 9619-1792

Santa Rosa – (55) 9 9674-8134

Soledade – (51) 9 9994-5020

 

Fonte: Emater

 

 

 

 COM 5 MESES DE CHUVA IRREGULAR, SUL FECHA MARÇO COM VOLUME ABAIXO DA MÉDIA

 

Nos últimos sete dias, apesar da passagem de uma frente fria e da ação de ventos úmidos que sopram do mar, praticamente não houve acumulados significativos no Rio Grande do Sul. Choveu menos de 10 milímetros no norte e leste do estado, assim como no sul, norte e litoral de Santa Catarina, e cerca de 30 milímetros no oeste catarinense. A região Sul passa por um longo período de estiagem, algo que começou em novembro do ano passado.

Nesse período de quase cinco meses, os dois estados registraram um déficit hídrico de 100 a 150 milímetros. Parece pouco, mas olhando-se mais atentamente, percebe-se grande espaçamento entre as precipitações.

Toda a região termina o mês de março com acumulado inferior à média. Foram menos de 50 milímetros, quando o normal seria algo entre 100 e 200 milímetros. Além disso, foram registradas ondas de calor, com desvio da temperatura máxima variando entre 4°C e 5°C em partes dos três estados do Sul. Neste momento, o nível de água disponível no solo está inferior a 10% no extremo sul do Rio Grande do Sul e abaixo de 30% na metade sul, de forma geral.

A previsão para a semana é de chuva irregular, com acumulados que não passam dos 15 milímetros e temperaturas elevadas. Abril que começa em meados da semana será mais um mês com chuva inferior à média na Região Sul. Somente ao longo da fronteira do Rio Grande do Sul com o Uruguai, há previsão de acumulados mais próximos da média. Há projeção para formação de um bloqueio atmosférico entre a Argentina e Uruguai e, com isto, a primeira quinzena de abril será caracterizada pelo tempo seco e temperaturas muito mais elevadas que o normal entre Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Somente a partir de meados de abril, o bloqueio atmosférico vai se romper e as frentes frias chuvosas finalmente avançam pela região Sul. Atenção ao primeiro episódio de chuva, que deverá vir acompanhado de fortes rajadas de vento e eventual queda de granizo. A partir daí, as frentes frias regularizam a chuva, mas o acumulado previsto para a segunda quinzena de abril não será suficiente para alcançar a climatologia de todo o mês em diversas áreas.

 

 

CONTRIBUIÇÃO SINDICAL É REAJUSTADA


A Contribuição Sindical dos(as) Agricultores(as) Familiares é realizada para o Sistema Confederativo – CONTAG – FETAG e Sindicato dos Trabalhadores Rurais. Ela é devida por toda a categoria, trabalhadores(as) ou empregados(as). Ou seja, todos aqueles que são trabalhadores rurais e não possuem empregados e exercem a atividade rural, individualmente ou em regime de economia familiar, sendo proprietário, arrendatário, parceiro, meeiro ou comodatário.

 

Para o tesoureiro-geral da FETAG-RS, Agnaldo Barcelos, a Contribuição Sindical é uma das formas de manter o Movimento Sindical atuante, forte e em constante luta para assegurar o direito dos agricultores familiares. Agnaldo reitera que embora a Contribuição seja facultativa, é uma obrigação dos agricultores(as), pois quando da conquista de um benefício para a classe todos recebem as melhorias.


O valor da Contribuição Sindical da Agricultura Familiar referente ao exercício 2020 é de R$ 35,00 (trinta e cinco reais) por membro do grupo familiar.